Açaí no Ponto | Grupo francês Casino mostra interesse pelo açaí do Brasil
| Açaí na Mídia
22 de outubro de 2013
Grupo francês Casino mostra interesse pelo açaí do Brasil

O gigante do varejo Casino – que comprou o Pão de Açúcar no Brasil – mostrou bastante interesse em importar o açaí amazônico apresentado no estande do Brasil na Feira Internacional de Frutas e Hortaliças (Fruit Attraction), que terminou nesta sexta-feira (18/10), em Madri na Espanha.



“Representantes do Casino solicitaram o envio de mais informações e fotos do açaí para a França. Acho bem provável que entabulemos negócios”, adianta Paulo Filho, da Brazilian Fruit, que organizou o estande junto com o Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf).

A quinta versão da feira de Madri reuniu mais de 700 produtores, exportadores e importadores de frutas e hortaliças de vários países. Para se ter ideia, eram 300 os participantes no início da feira e 500 no ano passado. “A Espanha é uma das principais portas de entrada para a comercialização de frutas para a Europa. O país ibérico é um dos lìderes em exportação de frutas e hortaliças, o que justifica a nossa presença aqui”, afirma Paulo Filho.

Nas primeiras versões da Fruit Attraction apenas cinco empresários brasileiros rumaram para a Espanha. Hoje, trazidos somente pelos organizadores, eles foram mais de vinte. Entre eles estava Taiki Felipe Morioka, do Grupo MNS, de Pilar do Sul (SP), que produz e comercializa frutas dentro do Brasil. Acompanhado do seu gerente comercial, Fábio Ferreira, Morioka participou ativamente das chamadas rodadas de negócios, uma iniciativa feliz dos promotores do evento na opinião dos próprios protagonistas. “Viemos para exportar frutas da Europa. As conversas, porém, praticamente viraram negócios”, afirmam Morioka e Ferreira.

Segundo o gerente comercial, os exportadores têm uma visão muito positiva em relação ao Brasil atualmente. “Eles estão focados na Copa do Mundo e nas Olímpíadas e não desconhecem que o bolso do brasileiro melhorou bastante,” observa Ferreira.

Além da Espanha, outros 100 países estiveram presentes em Madri. Há dois anos, eles eram 52. Entre os que participaram pela primeira vez estão a Polônia e o Chile. O país andino é um grande exportador de uvas, maçã e melancia. A Europa é o maior comprador. “A Espanha é um importante polo de negócio e as exportações chilenas crescem aceleradamente”, afirma Edmundo Araya Abollo, secretário-geral da Associação de Produtores de Frutas do Chile, que trouxe 13 empresas exportadoras para a feira. Ele conta que estabeleceu uma ponte de negócios com importadores brasileiros que já marcaram viagem a Santiago. Entre eles está o Grupo MNS.

Importante: a Ifema e a Fepex (Federação Espanhola dos Exportadores de Frutas e Hortaliças) demonstram grande interesse em ter o Brasil na feira. “Eles conhecem o potencial do Brasil e, óbvio, querem aproximar os compradores de empresas e produtores ligados ao agronegócio espanhol”, afirma Paulo Filho.

Fonte: Globo Rural